JEPP

Projeto do SEBRAE/RR incentiva empreendedorismo nas escolas de Boa Vista

Os estudantes criaram empresas para participar da exposição promovida pelas escolas da capital

O projeto trabalha o pilar do comportamento empreendedor e o Plano de Negócios, mas em uma linguagem lúdica, adaptada para os estudantes. O aluno aprende temas como visão de negócios, metas, qualidade na prestação de serviço e rede de relacionamento.

São quatro etapas: parceria entre o Sebrae e Instituição de Ensino; capacitação dos professores; capacitação do aluno pelo professor; envolvimento da família e comunidade pelo aluno e para o fechamento a Feira de Negócios.

Durante as atividades nas escolas, os estudantes criam os seus produtos e aprendem na prática a montar o seu negócio. A Feira é uma oportunidade para que eles mostrem esse aprendizado. Além disso, elas acontecem nas próprias escolas, integrando a família e a comunidade”, destacou Elissandra Costa, gestora do Programa Nacional de Educação Empreendedora do Sebrae-RR.

Uma das unidades escolares a participar do evento foi a Escola Municipal Newton Tavares, localizada no bairro Calungá. Ao adentrar a escola os convidados se deparavam com alunos espalhados pelo pátio, todos concentrados e prontos para explicar   o que absorveram durante o projeto.

O diretor superintendente em exercício do Sebrae Roraima, Almir Sá e a gestora do Programa de Educação Empreendedora, Elissandra Costa, estiveram durante o evento para acompanhar as apresentações.

A analista Elissandra Costa explica que para cada idade a metodologia se diferencia. O projeto Jovens Empreendedores Primeiros Passos é desenvolvido com as turmas do ensino fundamental. “Com as crianças tratamos este ano sobre sustentabilidade, fizemos brinquedos ecológicos, falamos sobre a base do estudo empreendedor, o que é poupar, tudo de uma forma lúdica e de fácil compreensão”, enfatizou.

Para os alunos do ensino médio, graduação e pós, é aplicado o projeto Despertar. Nesta modalidade, após 70 horas de oficina, os alunos da Escola Gonçalves Dias apresentaram as empresas crias, que são negócios pensados e criados dentro da disciplina de educação financeira. 

A professora e coordenadora do projeto na Escola Estadual Gonçalves Dias afirmou que a disciplina foi um sucesso, todos se empenharam e as turmas superaram as expectativas, pois foram formadas mais equipes de empresas crias do que estava previsto.

“Eles passaram o ano de 2019 estudando e planejando um modelo de negócio, hoje tiveram a oportunidade de aplicar, criar os produtos, personalizar, comercializar e receber o dinheiro da mercadoria. Eles puderam sentir um pouco de como é ser empresário na prática”, afirmou Hilda Montysuma.

Natália Borges é aluna do 3º ano e a empresa da equipe dela foi criada a partir de uma pesquisa de mercado, em que perceberam a falta de oferta de pudim. “É um doce que a maioria das pessoas gostam, com fácil preparo, mas que não encontramos em muitos lugares ou em uma empresa específica. Testamos algumas receitas e a escolha foi o pudim gelado”.

Além do ramo alimentício, em exposição havia também brechós. Cada equipe trabalhou aplicando as metodologias recebidas no curso: marketing, atendimento ao cliente, planejamento, fluxo de caixa, entre outros.

O diretor superintendente em exercício do SEBRAE/RR Almir Sá agradeceu a participação dos professores, alunos, aos diretores que abraçaram o projeto e a parceria. “Todo processo de transformação começa com o professor, que é um agente fundamental para aplicar a metodologia que o Sebrae se propôs a trabalhar. O cenário hoje no Brasil é desse empoderamento de novos jovens empreendedores e a ideia é que nossos alunos saiam do ensino médio com uma perspectiva diferente, um novo olhar para o mercado financeiro”, disse.