MEI

MEI: O que fazer para manter as portas abertas durante a pandemia de Coronavírus?

A pandemia global está causando efeitos diretos nas saúde e no comportamento das pessoas. O impacto desse novo cenário também afeta os pequenos negócios

O mundo se uniu contra a proliferação do covid-19, vírus causador do Corona. Em pouco meses, a população mundial viu assustada o número de casos crescer, assim como o número de vítimas e descobriu que a maneira mais eficaz de prevenção contra a doença é o isolamento social.

Mas, essa pratica tem um efeito devastador sobre os negócios. Sem sair de casa, as pessoas evitam consumir e muitas empresas que vivem disso, tiveram que fechar momentaneamente suas portas.

Em Roraima, por exemplo, os Governos Estaduais e Municipais estabelecem em decreto, normas que afetam o funcionamento de alguns estabelecimentos comerciais. Diante do esforço para manter a saúde de todos, casas de show, lanchonetes e até algumas lojas optaram por suspender o atendimento presencial e investir nas opções de delivery.

Nacionalmente, o impacto foi sentido na redução do volume de vendas. Mas, é importante lembrar que trata-se de um período sazonal ou seja, que tudo isso vai passar. A China, por exemplo, considerada o berço da pandemia está voltando aos poucos a reestabelecer a rotina de suas cidades.

A previsão inicial para o Brasil, conforme o Ministério da Saúde é que o pico de transmissão dure até 90 dias. Depois, a tendência é a estabilização e o controle. Ou seja, a vida de todo mundo vai voltar ao normal.

O desafio para os pequenos negócios é sobreviver a esse período e o Sebrae que sempre foi parceiro, criou vários conteúdos on line para contribuir com isso. Durante todo o mês de março, foram realizadas lives (transmissões ao vivo) nas plataformas do Facebook e do Youtube, direcionado para seguimentos como alimentação fora do lar, beleza, agronegócio e também para o Microempreendedor Individual.

O conteúdo de todas as lives realizadas permanece disponível na página oficial do Sebrae Nacional para que você assista a hora que quiser, basta acessar: www.facebook.com/sebrae. Outra novidade é uma página exclusiva criada pelo Sebrae com atendimento virtual, orientações e exemplos de iniciativas adotadas pelos empreendedores brasileiros para contornar esse momento. Todo esse conteúdo pode ser acessado gratuitamente no endereço www.sebrae.com/coronavirus.

 

Confira algumas dicas

 

Demonstre Responsabilidade

Agir com responsabilidade social demonstra que o seu negócio está preocupado com a coletividade. Invista em medidas preventivas para que seu cliente se sinta seguro. Vale disponibilizar álcool em gel, reforçar as medidas de higiene, incluir a máscara como item obrigatório no uniforme dos colaboradores e até estabelecer regras para garantir mais segurança. Em Boa Vista, por exemplo, a pizzaria Tiaré aumentou o espaço entre as mesas e determinou que cada uma delas seja ocupada por apenas quatro pessoas, um esforço para evitar aglomerações.

Mantenha contato virtual

A orientação do isolamento social não é motivo para que você se distancie do seu cliente. Invista nos grupos ou lista de whats, compartilhe informações que sejam úteis e ajudem a confortar as pessoas, estabeleça um vínculo virtual. Mantenha os perfis das redes sociais atualizados, elaborando publicações em sintonia com os temas discutidos no momento. Para quem tem uma estrutura mais organizada, outra dica é implantar uma plataforma de vendas on-line que, futuramente, pode ser ampliada para atender clientes de outros Estados e até de outros países. É uma janela de oportunidade.

É hora do delivery

Esse tipo de serviço se tornou uma alternativa para manter as vendas. Se o cliente não vai até você, leve o seu produto até o cliente. O corona levou também a diversificação desse serviço. Além de alimentos, o serviço de delivery já é usado em Roraima por lojas de roupas e acessórios femininos. Um esforço para manter as vendas mesmo em época de isolamento social.

Reavalie custos e negocie com fornecedores

Com menos vendas, o momento é de agir com prudência e refletir sobre que custos podem ser reduzidos nesse período. A orientação é reduzir o estoque para evitar perdas ou acúmulo de mercadorias. Quem tem funcionários poderá avaliar antecipação de férias. Para evitar juros, converse com seus fornecedores e tente negociar novos prazos. Lembre-se: tudo isso vai passar, mas é necessário agir com responsabilidade para garantir a sobrevivência do negócio.