Empreendedorismo

Ação conjunta orientou empreendedor a encontrar alternativas para superar a crise

O trabalho articulou de forma integrada o atendimento às Salas do Empreendedor dos municípios, orientando conforme a realidade da região.

A pandemia obrigou o mundo dos negócios a se reinventar e encontrar alternativas viáveis para superar a crise.  Numa estratégia para fortalecer o atendimento aos MEI e pequenos empreendedores, o Sebrae Roraima potencializou uma ação em conjunto envolvendo o atendimento de três unidades:  Políticas Públicas e Desenvolvimento Territorial (UPPDT), Cultura Empreendedora, Mercado e Serviços Financeiros (UCEMS) e Gestão da Inovação (UGIN).

 

O trabalho articulou de forma integrada o atendimento às Salas do Empreendedor dos municípios, orientando conforme a realidade da região. De acordo com Núbia Ribeiro, gerente da Unidade Políticas Públicas e Desenvolvimento Territorial (UPPDT), as ações integradas potencializam o planejamento e alcançam os melhores resultados. “Oferecemos informações para o empreender atuar de forma inovadora e com criatividade diante do cenário que se apresentava. Todo o atendimento foi feito de forma on-line sem precisar o empreendedor sair de sua casa,” disse Núbia Ribeiro.

 

Os analistas de acordo com sua área de atuação intensificaram o trabalho on-line de forma conjunta para orientar e apoiar os Agentes de Desenvolvimentos responsáveis pela Sala do Empreendedor nos municípios de Normandia e Amajari. 

 

O acompanhamento iniciou no mês de abril, logo após o Governo Federal publicar o decreto de isolamento social. Vários setores tiveram que suspender o atendimento presencial e se adequar a realidade do trabalho nas plataformas digitais.  

 

As consultorias on-line foram direcionadas para linhas de créditos orientando os empreendedores sobre as melhores alternativas para adquirir o financiamento. Em abril, o Sebrae e a Caixa Econômica Federal assinaram um acordo para auxiliar os micro e pequenos empreendedores a obter recursos para o capital de geral.

 

Foi ofertada para os empreendedores a Oficina de Crédito, a ação envolveu a Unidade de Políticas Públicas e Unidade de Acesso ao Crédito. Foram repassadas informações sobre disponibilidade das linhas de créditos, taxas de juros e prazos. Conforme Rodrigo Rosa, analista da Unidade de Políticas Públicas, havia uma demanda e oferta de crédito e empreendedores e os analistas do Sebrae tinham que obter informações e se adequar às novas regras.  

 

 “Houve uma necessidade de capacitar os Agentes de Desenvolvimento da Sala do Empreendedor para que eles pudessem atender de forma adequada os MEI e as micro e pequenas empresas nos municípios”, disse Rodrigo Rosa.  

 

Os analistas e técnicos disponibilizaram informações para apoiar a atuação dos empreendedores para permanecerem nos negócios.  A iniciativa permitiu despertar a motivação para mudanças tecnológicas e ter uma atitude empreendedora e buscar soluções para enfrentar a crise causada pela pandemia.   

 

O empreendedorismo foi para o digital e muitos empresários necessitavam de informações práticas para utilizar as ferramentas.  A   Unidade de Cultura Empreendedora, Mercado e Acesso a Serviço Financeiro juntamente com a Unidade de Políticas Públicas potencializaram as ações para oferecer cursos on-line de marketing digital. “Quando oferecemos um canal de solução, o cliente pode escolher qual a decisão mais vantajosa para tomar. Por meio da loja digital do Sebrae oferecemos vários cursos e a Unidade de Políticas incentiva o seu público a participar,” esclareceu Marlus Almeida, gerente da UGIN.

 

Sempre apostando em soluções práticas para o empreendedor continuar oferecendo seus serviços, foram oferecidas oficinas como vender no período de pandemia.  O atendimento on-line por meio das redes sociais ou pelo whatsapp esteve em evidência para o  empreendedor se adequar às mudanças apresentadas pela pandemia.